Natal o ano inteiro …

Fábio Bonini

23 Dezembro 2011 | 16h30

Andar pela Avenida Paulista na época de natal se tornou um desafio para quem, como eu, transita por lá diariamente por razões alheias às festas de fim de ano. Quem trabalha ou vive na região faz um exercício diário de paciência desviando de famílias que se aglomeram em volta dos palcos, corais, personagens natalinos e prédios decorados com esmero por instituições públicas e privadas.

Confesso que algumas vezes estou com pressa e gostaria que a região onde trabalho estivesse menos tumultuada. Mas, muitas vezes me detive com quem estava passeando pela Avenida Paulista para olhar crianças e adultos tirarem fotos com personagens alegóricos de natal, em frente aos prédios decorados ou assistirem à uma apresentação musical ou teatral. Um dia desses, entrei no Parque Trianon e fiquei por 10 minutos ouvindo um coral cantar. Tive a sensação de me desligar da correria cotidiana e voltei para o trabalho mais leve.

Definitivamente a Avenida Paulista, que recentemente comemorou seu próprio natalício, foi transformada em um espaço de convivência. Pergunto-me se essa mesma iniciativa não poderia – ou deveria – se espalhar para outras regiões de São Paulo e se manter ao longo de todo o ano.  Vivemos em uma cidade gigante, com milhões de habitantes que precisam de momentos de lazer para se desligar do stress do dia-a-dia, de locais acessíveis para conviver com amigos e família – de uma cidade mais humana e acolhedora. E assim como a Paulista virou um “parque temático” neste natal, outros espaços públicos podem oferecer à população a oportunidade de desfrutar a nossa cidade.

 Essa responsabilidade não ser precisa exclusiva do poder público. Todos podem colaborar com a construção de uma cidade melhor, mais acolhedora. Praças que são adotadas pela vizinhança são um exemplo disso. Com a ajuda de todos, bairros ganham centros de lazer, espaços de encontro que melhoram a qualidade de vida de quem passa um tempo ali. Quando crianças íamos, eu e meu irmão, diariamente a um parquinho perto de casa, na Praça 14 Bis. Era uma diversão, era gratuita e só dependia de um espaço bem conservado e da presença de outras crianças.

Com o cuidado pelos espaços da cidade de São Paulo – por parte do governo, das empresas e da própria comunidade – e posterior ocupação destes locais pela população nos seus momentos de lazer, a cidade seria outra. Vendo a movimentação em torno da Avenida Paulista no natal, pensei no espírito natalino usado para transformar meu local de trabalho em espaço de lazer para tanta gente. Esse espírito poderia ir mais longe. Afinal, o natal é uma das épocas do ano e a gente vive em São Paulo em todos os outros 364 dias. Eu conheço vários outros lugares que merecem uma mudança assim. E você, para onde levaria esse espírito de natal?

 

Confissões de rodapé: Para quem está na fase dos 40, impossível não se emocionar com a reprise do desenho animado, do final do ano de 1978, da Turma da Mônica, “Feliz natal pra todos”.

 

Mais conteúdo sobre:

Avenida PaulistalazerNatal