Voto do presidiário e do menor da Febem

Estadão

13 Abril 2010 | 15h42

Dos 50 mil presos provisórios do Estado de São Paulo, cerca de 20 mil poderão votar nas eleições de outubro, pois estão abrigados em unidades prisionais consideradas de baixo e médio risco, conforme classificação elaborada pela Secretaria da Administração Penitenciária. Os de alto risco foram excluídos. Os 5,5 mil menores infratores recolhidos na Fundação Casa, ex-Febem, também  poderão votar.

Poderá haver urnas em cerca de 130 estabelecimentos penais, sendo 36 na capital e 94 no interior, incluindo a Fundação Casa. Os juízes e chefes de cartórios eleitorais das 74 zonas eleitorais paulistas envolvidas na implantação do voto do preso provisório e do menor infrator definiram que as seções eleitorais sejam abertas com no mínimo 20 e no máximo 200 eleitores, respeitando-se as peculiaridades de cada local. As mesas receptoras deverão ter quatro mesários.