Ex-Uniban

Estadão

10 Novembro 2009 | 18h48

O deputado estadual Orlando Morando (PSDB), que se formou na primeira turma de Direito do campus São Bernardo da Uniban, em 2001, contou que os alunos sempre tiveram problemas na instituição. “Quem atrasava o pagamento da mensalidade não fazia a prova. O aluno entrava na sala de aula e era obrigado a se retirar”, afirma. O prédio onde hoje funciona a Uniban de São Bernardo era da extinta Autolatina – Volkswagen e Ford – e os alunos, diz Morando, eram obrigados a utilizar elevador de carga, onde eram transportadas peças, para acessar os vários andares da universidade. “A gente parecia peça de carro”. O parlamentar disse ainda que os alunos foram obrigados a ir ao Conselho Nacional de Educação em Brasília para pedir urgência no reconhecimento do curso de Direito para conseguir obter o diploma e trabalhar. “Fomos em três ônibus a Brasília. A Uniban ofereceu durante quatro anos um curso que sequer tinha sido reconhecido pelo MEC.”