Calote na peãozada

Estadão

22 Abril 2009 | 11h52

A ThyssenKrupp, importanmte multinacional alemã instalada em Diadema, demitiu 130 funcionáris, alguns com 30 anos de casa, e não vai pagar as rescisões contratuais e multas previstas em lei. Tem metalúrgico com mais de R$ 50 mil a ver. Todo esse imbróglio vem a reboque da negociação da Thyssen com uma empresa norte americana e o cancelamento de um contrato por parte da General Motors. Amanhã, a peãozada fará uma manifestação em frente a firma. Querem evitar que o maquinário – única garantia de que poderão receber algo – seja levado embora. A alegação para esse calote é a crise mundial.