Barnabés na rua

Estadão

13 Novembro 2009 | 10h34

O governo federal já expulsou dos quadros administrativos da União 2.315 servidores envolvidos em corrupção e práticas ilícitas, no período janeiro de 2003 até hoje. De acordo com a Controladoria Geral da União (CGU), as demissões de cargos efetivos somaram exatos 2.000 casos, as destituições de cargos em comissão são 177 e as cassações de aposentadorias 138. O principal motivo das expulsões foi utilizar o cargo público para obter vantagem, com 1.180 casos (32,43%). O recebimento de propina foram responsáveis por 222 (6,10%) dos casos. Improbidade administrativa somaram 688 casos (18,91%). Foram 170 (,4,67%) os servidores que lesaram os cofres públicos e perderam o emprego.