A muralha

Estadão

03 Junho 2009 | 12h22

Pilotos e especialistas ouvidos por esse repórter afirmam que a grande hipótese para a queda do Airbus da Air France, Af 447, que matou 228 pessoas na madrugada de segunda-feira, é que o avião passou por uma turbulência que não é detectada no radar, chamada de CAT, em seguida teve problemas em seus equipamentos, possivelmente com os radares queimados seja por um raio ou por outro problema no sistema elétrico, e depois adentrou numa enorme nuvem chamada cumulus nimbus (CB) e bateu numa espécie de muralha de gelo.