As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Pasolini passou aqui’, ele escreveu

Edison Veiga

09 Dezembro 2011 | 05h14

CINE BELAS ARTES
FOTO: ERNESTO RODRIGUES/ AE
O veredicto saiu na semana passada: protagonista de uma longa queda de braço, o prédio do Cine Belas Artes, na Rua da Consolação, não será tombado pelos órgãos de proteção ao patrimônio. Fechado desde março, o imóvel foi pichado com a frase “Pasolini passou aqui”, aludindo ao cineasta italiano.

“Muros são como túmulos: merecem epitáfios; e morremos todos os dias entre os muros. Penso que jamais devem haver retrocessos nesses aspectos: nunca um muro a mais, sempre um muro a menos: nunca um cinema a menos”, explica o autor da ação, que pede para não ter seu nome publicado.

“A expressão ‘Pasolini passou aqui’ se autoexplica e, precisamente, naquele espaço, estimula múltiplas interpretações”, diz ele, que prefere o termo pixação (de pixels), em vez de pichação. “A primeira: como assim acabou o cinema e ninguém faz nada? A segunda, não menos importante: quem que é esse Pasolini? ‘Pasolini passou aqui’, é óbvio, porque os filmes dele foram ali exibidos, ‘Pasolini passou aqui’ porque esse é o espírito da pixação: o do ‘fulano passou por aqui’.”

Publicado originalmente na edição impressa do Estadão, coluna ‘Paulistices’, dia 5 de dezembro de 2011

Tem Twitter? Siga o blog