No Arqui, lixo vira adubo
As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

No Arqui, lixo vira adubo

Edison Veiga

03 Agosto 2017 | 07h30

Foto: Colégio Marista Arquidiocesano/ Divulgação

_____________________
Paulistices no Facebook: curta!
E também no Twitter: siga!
_____________________

Novidade ecologicamente correta no Colégio Marista Arquidiocesano de São Paulo, instituição de ensino da Vila Mariana: a escola comprou um equipamento próprio para fazer o processo de compostagem, transformando todo o lixo orgânico em adubo.

De acordo com a assessoria de imprensa do colégio, o procedimento “serve para melhorar a jardinagem e estimular práticas sustentáveis nas casas do alunos”. Com isto, prossegue o órgão, o Arqui “reafirma seu compromisso com o meio ambiente, motivando alunos, colaboradores e toda a comunidade escolar a exercer a cidadania plena a partir de um projeto de gestão de resíduos e coleta seletiva”.


Na escola circulam 7 mil pessoas por dia, o que acarreta uma produção diária de 80 quilos de lixo orgânico.

Foto: Colégio Marista Arquidiocesano/ Divulgação

Mais conteúdo sobre:

São PauloVila MarianaMeio Ambiente