Nas ruas de SP, começa o novo Retratos da Leitura
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Nas ruas de SP, começa o novo Retratos da Leitura

Quarta edição da pesquisa realizada pelo Instituto Pró-Livro deve ser divulgada em abril; pela primeira vez, questões abordam uso de plataformas como Facebook e WhatsApp

Edison Veiga

10 Dezembro 2015 | 00h18

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

_____________________
Paulistices no Facebook: curta!
E também no Twitter: siga!
_____________________

No total, devem ser ouvidos mais de 5 mil pessoas, de todas as regiões do País. A quarta edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, promovida pelo Instituto Pró-Livro (IPL), começou, com as primeiras entrevistas realizadas pelo Ibope Inteligência. Na terça e na quarta, os pesquisadores ouviram moradores de São Paulo. A previsão é que os resultados sejam divulgados em abril do ano que vem.

De acordo com o IPL, a metodologia vem sendo aperfeiçoada a cada ano com base “nas avaliações e contribuições de especialistas e parceiros que fizeram uso e análise dos resultados da pesquisa”. “Nesse sentido, foram realizadas reuniões e consultas para se levantar expectativas e contribuições para esse aperfeiçoamento”, informou a entidade. Pela primeira vez, o comportamento do leitor também será analisado com relação às mídias digitais – em consonância com as orientações do Centro Regional para o Fomento do Livro na América Latina e no Caribe, o Cerlalc.

“Considerando seus principais objetivos de avaliar e orientar políticas públicas, o IPL entende que seja fundamental conhecer o que crianças e jovens estão lendo dentro e fora das escolas e quais são os indicadores e hábitos de leitura desses jovens estudantes, incluindo nesse ponto a leitura e escrita digital. Mas não poderíamos deixar de incluir a leitura de livros indicados pela escola. Essa variável é fundamental para se avaliar o que nossos jovens estudantes leem e porque leem”, explicou o IPL, por meio de sua assessoria de imprensa. “Com isso, esta edição espera promover o estudo e o mapeamento do comportamento leitor dito tradicional assim como do digital, de vários materiais e em diferentes meios, mas mantém os livros como o principal objeto deste estudo, por entender que o livro, seja em papel ou digital, continue sendo o principal suporte para acesso a conteúdos didáticos; acesso ao conhecimento produzido por toda a humanidade e para leitura de literatura ou ficção.”

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação



A seguir, os objetivos da pesquisa, definidos pelo IPL:

• Comparar e avaliar resultados das quatro edições da Pesquisa e construir séries históricas (2000,2007, 2011 e 2015);

• Comparar indicadores de leitura dos brasileiros com resultados de outros países, que usam a mesma metodologia;

• Comparar com outras pesquisas sobre leitura, educação e economia do livro;

• Avaliar impacto de políticas públicas e programas de governo para orientar investimentos e ações;

• Propor ações mais efetivas na formação de leitores.

E as expectativas:

• Subsidiar avaliação e formulação de políticas públicas;

• Orientar ações do IPL, governo e de ONGs;

• Contribuir para consolidar o tema como política de estado;

• Promover a reflexão sobre a situação da leitura no Brasil;

• Comparar com resultados de outros países;

• Construir séries históricas;

• Traçar tendências segundo diferentes cenários;

• Subsidiar a mídia especializada e contribuir para levar a preocupação para toda a sociedade;

• Promover a valorização do livro e leitura no imaginário coletivo;

• Orientar as ações do IPL e outras entidades do livro;

• Identificar ações efetivas na formação de leitores.