Protesto contra a tarifa reúne 75 ocupações em sete bairros
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Protesto contra a tarifa reúne 75 ocupações em sete bairros

Até então os sem-teto haviam apenas declarado apoio à reivindicação’ do Movimento Passe Livre. Isso ocorreu tanto nos protestos de 2013 como nos três atos deste ano.

Diego Zanchetta

21 Janeiro 2015 | 12h19

A partir de amanha, o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto, protagonista nas manifestações de ruas em 2014, engrossa o coro do Passe Livre contra o aumento da tarifa. Em sete ações simultâneas em regiões da periferia da Grande São Paulo, o MTST deve mobilizar cerca de 25 mil moradores em 15 assentamentos e 60 prédios.

Até então os sem-teto haviam apenas declarado apoio à reivindicação’ do Movimento Passe Livre. Isso ocorreu tanto nos protestos de 2013 como nos três atos deste ano.

No ano passado, o MTST promoveu mais de 70 protestos só na capital paulista, todos por moradia. O grupo chegou a ganhar repercussão internacional ao assegurar a construção de prédios populares no terreno privado em Itaquera ocupado por 2 mil famílias em junho e batizado de “Copa do Povo”.

“O protagonismo da discussão por moradia dará lugar para a reivindicação popular por transporte público bom e barato, para todos”, informa o MTST em sua página no Facebook.

Um panelaço será realizado pelos sem-teto amanhã nas regiões do Grajaú, Itaquera, M’Boi Mirim e Campo Limpo, na zona sul da capital, e nas cidades de Santo André, Carapicuíba e Taboão da Serra, na região metropolitana. A ideia do movimento é fazer sete ações simultâneas, todas a partir das 17h. Moradores das principais ocupações da região metropolitana foram convocados para o ato.

Na sexta-feira o Passe Livre volta às ruas do centro. O quarto ato contra a tarifa está marcado para as 17 horas, em frente ao Teatro Municipal. A aposta das lideranças do movimento é que a volta às aulas, a partir de segunda-feira (dia 26), aumente o número de manifestantes nas passeatas da próxima semana.

O MTST, porém, deve fazer ações próprias contra a tarifa, sem participar diretamente dos protestos convocados pelo Passe Livre.

mtst

O MTST, em protesto no ano passado, em frente ao Masp: mobilizações contra o aumento da tarifa começam amanhã na capital