Conpresp vai decidir se autoriza empreendimento em terreno do Parque Augusta
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Conpresp vai decidir se autoriza empreendimento em terreno do Parque Augusta

Diego Zanchetta

28 Abril 2014 | 12h46

COM BRUNO RIBEIRO

A pedido do prefeito Fernando Haddad (PT), o Conselho Municipal do Patrimônio Histórico (Conpresp) vai decidir nas próximas semanas se autoriza o empreendimento que prevê três torres de 42 metros e uma área verde aberta à população no terreno onde moradores da região de Cerqueira César e coletivos do centro defendem a criação do Parque Augusta.

O novo projeto da construtora Setin, em análise na Prefeitura, prevê três torres e um parque privado em 60% do terreno de 25 mil metros quadrados, localizado ao lado da Praça Roosevelt, na região conhecida como ‘Baixo Augusta’, no centro. Nos 40% restantes do terreno a construtora manteria um parque aberto à população.

Para conseguir construir o empreendimento, a Setin quer que o Conpresp derrube uma resolução do conselho, de 2005, que proibiu torres de 42 metros de altura no local. Em contrapartida a construtora se compromete a construir um parque aberto com wi-fi, playground e espaços para bicicletário.


Apesar de o prefeito Fernando Haddad (PT) ter declarado o terreno de utilidade pública no final do ano passado, o que foi comemorado pelas associações de moradores da região e pelo coletivo Matilha Cultural, a Secretaria Municipal do Verde informou logo em seguida que o governo municipal não tem os R$ 120 milhões necessários para desapropriar o terreno. A Setin também argumenta ter, por lei, o direito de tramitar um novo projeto dentro do governo. O projeto anterior não previa parque aberto à população.

Em meio à polêmica, Haddad quer que o Conpresp se manifeste sobre o projeto e diga se o empreendimento pode ser executado ou não. O Conpresp informou que, como existe um projeto novo, o conselho terá de se manifestar. Segundo conselheiros ouvidos pela reportagem, a votação do novo projeto deve ocorrer antes do final do primeiro semestre.

QUEM SÃO OS 9 CONSELHEIROS QUE VÃO DECIDIR SE AUTORIZAM AS TRÊS TORRES NA ÁREA DO PARQUE AUGUSTA:

Câmara Municipal de São Paulo: Adilson Amadeu (PTB)

Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea) – Marcelo Rossi de Camargo Lima

DPH – Nadia Somekh
 
IAB – José Geraldo Simões Júnior
 
Ordem dos Advogados Brasil – Marcelo Manhães de Almeida
 
Secretaria Especial de Licenciamentos – Rosane Cristina Gomes
 
Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano – Penha Pacca
 
Secretaria Municipal de Cultura – Alfredo Manevy 
 
Secretaria Municipal de Negócios Jurídicos – Eduardo Mikalauskas
 

Terreno onde moradores do centro defendem criação do Parque Augusta: conselho do patrimônio vai ter de dizer se projeto de 3 torres na área é viável

 

 

 

Mais conteúdo sobre:

HaddadMatilha CulturalParque Augusta