Ambulantes da Feira da Madrugada ocupam terreno na Marginal
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ambulantes da Feira da Madrugada ocupam terreno na Marginal

Diego Zanchetta

03 Junho 2013 | 17h41

COM ARTUR RODRIGUES

Comerciantes da Feira da Madrugada, fechada pela Prefeitura, estão se mudando para um terreno na Marginal Tietê, ao lado da Ponte do Limão, na zona oeste. Eles querem que o centro de compras popular funcione no local provisoriamente.

O aluguel de uma área de 23 mil metros quadrados localizada ao loja da loja da Dicico, na Marginal Tietê, já foi acertado com os proprietários, segundo o advogado dos ambulantes, Ayrton Vicente de Oliveira. “Demos entrada na documentação na Prefeitura, solicitando o uso por 60 dias, até a reforma” argumenta o advogado.

Alegando questões de segurança, a Prefeitura ordenou o fechamento do espaço da feirinha, no Brás, no fim do mês passado. O local, na Rua Barão de Ladário, vai passar por reformas e ser reaberto em 60 dias. Na manhã de ontem, um grupo de 700 ambulantes iniciou uma manifestação pela reabertura do espaço. Eles saíram do Brás e foram até a Avenida Paulista.

O Estado entrou em contato com a Prefeitura às 17 horas, questionando se há autorização para a transferência da feira. O governo, porém, informou, por volta das 18h45, que não existe previsão de a feirinha funcionar em outro local enquanto o terreno no Brás estiver em reforma.

Ambulantes da Feira da Madrugada preparam terreno na Marginal Tietê, ao lado da Ponte do Limão

Hoje, por volta das 16 horas, alguns ambulantes estavam capinando o terreno onde pretendem expor suas mercadorias em tripés. “O local é ótimo, tem estacionamento, e já é rota dos ônibus que vão para o Brás. É aqui mesmo que vamos trabalhar”, afirma Ronaldo Oliveira, de 31 anos, um dos ambulantes que pretende se instalar no local.