As tartaruguinhas estão “nascendo” na Ilha da Trindade
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

As tartaruguinhas estão “nascendo” na Ilha da Trindade

Pablo Pereira

01 Fevereiro 2017 | 17h39

IMG_20170201_231203

As primeiras tartaruguinhas do verão 2016-2017 começaram a “nascer” na última semana de janeiro nas quentes areias das praias da Ilha da Trindade, no Oceano Atlântico, a mais de 1.100 quilômetros da costa do Espírito Santo. Os filhotinhos descascam e emergem dos ninhos cerca de 50 dias após suas mães, algumas com mais de metro de comprimento e pesando mais de 100 quilos, terem posto dezenas de ovos, branquinhos, em covas das praias dos Andradas e das Tartarugas no Posto Oceanográficos da Ilha da Trindade (Poit), o destacamento da Marinha do Brasil na porção do território mais afastada do litoral.

Abaixo, veja imagens da observação, fascinante, da vida selvagem na ilha quando as mamães tartaruga desovaram. Na quente noite de lua de 13 de dezembro, já na madrugada, encontramos várias delas em plena atividade de reprodução. Sob o murmúrio do mar, acompanhamos os vagarosos vultos escuros saindo das águas e se arrastando pela praia para um espetáculo iluminado por luz vermelha de lanternas para evitar o estresse desses “partos” tão especiais.

Protegidos pelos militares e paparicados por biólogos do Projeto Tamar, que chegaram à ilha em dezembro na expedição do navio de guerra Amazonas, mostrada em reportagem publicada no Estado no dia 8 de janeiro, os filhotinhos da tartaruga-verde, como esse, cuja imagem foi publicada no Facebook, devem continuar a sair da “chocadeira natural” ainda por alguns dias.


Segundo os pesquisadores do Tamar, apenas um entre mil destes frágeis bichinhos conseguirá chegar à idade adulta. Essas tartarugas começam a procriar depois dos 25 anos e podem viver até um século. Os inimigos naturais das tartaruguinhas, contra os quais a tropa de 32 homens da Marinha que vive em Trindade nada pode fazer, vão dos intrigantes caranguejos-amarelos (quase uma praga na ilha)  aos tubarões e outros peixes de grande porte que buscam as mornas águas do lugar  (cerca de 24 graus centígrados, em média) para se alimentar.

Trindade é um paraíso brasileiro. Agora, para alegria de pesquisadores e marinheiros do Poit, os filhotes de tartarugas-verdes iniciam a saga, que pode levá-los pelas correntes marinhas (tartarugas da Trindade já foram encontradas na África), até que, quando adultos, voltem à ilha para o maravilhoso ciclo da reprodução.

(Texto atualizado)

 

Mais conteúdo sobre:

TrindadetartarugasIlha