1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

PABLO PEREIRA. Formado pela PUC-RS em 1986, é jornalista do Estadão desde 2007. Foi Editor Executivo de O Estado de S.Paulo, do Jornal da Tarde e do estadão.com.br. Master em Jornalismo Digital pelo Instituto Internacional de Ciências Sociais (IICS), é repórter especial.
segunda-feira 30/11/09 13:14

Enquete da capela: restauro

Dos 151 amigos do Garoa que se dispuseram a responder a pergunta "Você acha que a Capela dos Aflitos deve ser restaurada?", 89% (135 votos) é favorável; 11% (16 votos) é contra. Enquete não é pesquisa de opinião, daquelas científicas que os institutos fazem com critérios finos bem ponderados. Mas pode ajudar na reflexão. Foi o que ocorreu aqui com a breve sondagem, aberta em 3 de novembro e encerrada hoje, sobre a recuperação da Capela dos Aflitos, igrejinha do bairro ...

Ler post
domingo 29/11/09 15:58

Sons e imagens de SP

Área de estacionamento do Estádio do Pacaembu/Reprodução

Com a contribuição do leitor Roberto Izidorio Pereira, que comenta o post "Sons de São Paulo", reproduzo aqui imagens de São Paulo em 1943. É um documentário de propaganda, mas que contém imagens maravilhosas da cidade, produzido pelo The Office of The Coordinator of Inter-American Affairs. Mostra, por exemplo, imagens do Pacaembu, o trânsito na Avenida Paulista, os bondes, o crescimento industrial e os belos jardins do Anhangabaú, ao lado do Theatro Municipal e do Viaduto ...

Ler post
quarta-feira 25/11/09 15:15

Sons de São Paulo

Modinhas de Zica Bergami para lembrar de uma São Paulo que não existe mais, mas permanece viva na memória de muita gente que gosta de morar na metrópole. Essa "Salada de danças" é uma maravilha! [kml_flashembed movie="http://player.soundcloud.com/player.swf?url=http%3A%2F%2Fsoundcloud.com%2Fpablo4%2F05-salada-de-dancas-1&show_comments=true&auto_play=false&color=ff7700" width="450" height="81" wmode="transparent" /] E mais: "Serenata" [kml_flashembed movie="http://player.soundcloud.com/player.swf?url=http%3A%2F%2Fsoundcloud.com%2Fpablo4%2Fserenata&show_comments=true&auto_play=false&color=ff7700" width="450" height="81" wmode="transparent" /] Para finalizar: Zica roqueira, cantada por Zezé Freitas, em "Pimenta no rock": [kml_flashembed movie="http://player.soundcloud.com/player.swf?url=http%3A%2F%2Fsoundcloud.com%2Fpablo4%2Fpimenta-no-rock&show_comments=true&auto_play=false&color=ff7700" width="450" height="81" wmode="transparent" /]

Ler post
domingo 22/11/09 15:41

Homenagem

Reproduzo abaixo, como post, em homenagem ao brilhante trabalho da autora, íntegra do comentário enviado ao Garoa pela professora Ligia Fonseca Ferreira, da Unifesp, a propósito do texto sobre Luís Gama, do dia 19.

“22/11/200912:33

Enviado por: Profa. Ligia F. Ferreira

Prezado Pablo e leitores,
É sempre uma imensa satisfação saber de todos quantos evocam a figura ímpar do multifacetado Luiz Gama, ao qual tenho dedicado a maior parte de minha produção acadêmica, iniciado com a pesquisa para meu doutorado na Universidade de Paris 3 – Sorbonne : “Luiz Gama : étude sur la vie et l´oeuvre d´un Noir-citoyen, militant de la lutte anti-esclavagiste au Brésil” (4 vols).
Organizei a reedição crítica das Primeiras Trovas Burlescas de Luiz Gama e Outros poemas, pela editora Martins Fontes (2000). Trata-se do primeiro trabalho que resgata a obra única de Luiz Gama, baseada nas duas edições por ele mesmo preparadas (Sãoa1a edição 1859 ; 2ª edição, corrigida e aumentada 1861), desde há muito de raríssimo acesso. Consegui realizar minha pesquisa “arqueológica” e de “restauro” na Biblioteca Mário de Andrade e na de colecionadores particulares, já que edições póstumas, a partir de 1904, em geral feitas por “amigos ou admiradores” do autor (e não editores), têm caráter apócrifo, apresentam distorções e mutilam muitos poemas, retirando às vezes estrofes inteiras, comprometendo assim a leitura e interpretação do texto.
. Tomo a liberdade de recomendar aos interessados a leitura deste livro, no qual encontram-se um vasto ensaio introdutório, + fortuna crítica, cronologia e iconografia do poeta, jornalista, advogado e militante das campanhas abolicionista e republicanas.

Minha tese, com volumes de anexos (textos, documentos, iconografia) em português, encontra-se disponível da Biblioteca da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP.
Tenho vários artigos publicados, dentre os quais ressalto :
1. “Luiz Gama: um abolicionista leitor de Renan”, Revista Estudos Avançados (USP) n. 60, disponível on line:

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-40142007000200021&script=sci_arttext

2. “Luiz Gama por ele mesmo : a carta a Lúcio de Mendonça”, Teresa Revista de Literatura Brasileira 8/9, agosto 2009. Neste trabalho, analiso e comento dados inéditos sobre a célebre carta de abolicionista ao futuro criador da Academia Brasileira de Letras, oportunidade em que desmistificamos alguns equívocos acerca da biografia do autor de Primeiras Trovas Burlescas.

A relação de outros trabalhos pode ser acessadas através do meu CV Lattes:

http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.jsp?id=K4781343T9

No dia 18 de novembro último, a convite do Centro Paula Souza e Secretaria de Educação do Estado de SP, ministrei la em videoconferência – “Luiz Gama : uma ´consciência´ afro-brasileira”, que dentro de cerca de 2 semanas estará disponível na videoteca da Rede do Saber  www.rededosaber.sp.gov.br
Cordialmente,

Profa. Ligia Fonseca Ferreira
UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo”

Ler post
sábado 21/11/09 18:15

O tempero do tempo

Coxinha creme, tempero herdado da Leiteria Pereira

"Nem eu, que conheço todo mundo lá, consigo explicar o que aconteceu. Nem eu!", tem dito Angelo Luisi, italiano de Potenza, palmeirense roxo,  incrédulo com o que aconteceu com o clube da Rua Turiassu nos últimos dias. Torcedor apaixonado há mais de meio século, Angelo é um exemplo de persistência na gastronomia de São Paulo. A cantina que dirige é uma rara boa mesa com mais de 100 anos.  "Depois de ficar 5 pontos na frente, perdemos tudo", diz ele, ...

Ler post
quinta-feira 19/11/09 23:12

Dívidas e reverências

Luís Gama em foto de Militão Azevedo/Reprodução

 São Paulo adotou o dia 20 de novembro como feriado em homenagem à gente que lutou pelas liberdades em séculos de injustiça, quando humanos eram escravizados por serem negros ou índios. É a data dedicada a Zumbi dos Palmares, líder quilombola exterminado nessa data em 1695 pelo paulista Domingos Jorge Velho em campanha contra índios e escravos em terras do Nordeste.  Há trabalhos acadêmicos muito bons sobre esse período terrível da história de São Paulo. E há livros reveladores das intolerâncias ...

Ler post
segunda-feira 16/11/09 23:02

Forca, cutelo ou liberdade

A capela dos Aflitos, escondida numa travessa da Rua dos Estudantes, na Liberdade, resiste desde a década de 1770, quando surgiu o cemitério para escravos e banidos. Ela, às vezes, é confundida com a Igreja das Almas, que fica na esquida da Estudantes com Avenida da Liberdade, outro prédio, construído um século depois. Na capela dos Aflitos são rezadas missas todas as segundas-feiras, às 15h, e uma parte de seus fiéis cultua o santo popular Chaguinhas, o cabo Francisco José das Chagas, condenado à forca ...

Ler post
quinta-feira 12/11/09 13:37

A palavra e o registro do tempo

Página de O Estado de S.Paulo, julho de 1935/Arquivo OESP

Uma das diversões do escritor Machado de Assis era acompanhar, e depois relatar em crônicas semanais, as sessões do Senado no Rio de Janeiro. Dessas maravilhas machadianas, trazidas dos anos 1890 para nosso tempo pelo professor John Gledson, algumas são pérolas do comportamento de políticos que à época usavam a tribuna do parlamento. Obviamente que sem microfones e sistemas amplificadores de som, o gogó e a retórica exigiam muito dos oradores.  Mestre da ficção, Machado viveu aqueles tempos sem perder contato refinado ...

Ler post
quarta-feira 04/11/09 21:40

Vida na esquina

Esquina da Avenida 23 de Maio com Viaduto Pedroso

A migração para São Paulo é tema por demais estudado e está muito clara no panorama da cidade. Muitas histórias de sucesso e de fracasso estão pelas ruas. Caminhando perto do Centro, outro dia, encontrei uma delas morando numa esquina. Há 33 anos, Dilson Freire dos Santos, um paraense, chegou com um projeto: melhorar de vida. [caption id="attachment_104" align="aligncenter" width="300" caption="Mureta, que Dilson usa para descansar e vigiar"]Na mureta, que usa como sala de estar[/caption] Dilson sonhava ...

Ler post