Sucatas e descaso nas ruas da Saúde
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sucatas e descaso nas ruas da Saúde

Marcel Naves

03 Junho 2016 | 18h09

Entrada principal do Parque professor Américo Portugal Gouveia.

Entrada principal do Parque professor Américo Portugal Gouveia.

A praça professor Américo Portugal, na Chácara Inglesa, subdistrito do bairro da saúde, na zona sul da cidade não retrata a realidade do bairro. A grama aparada e a boa conservação das quadras e demais equipamentos esportivos do local  escondem problemas graves como o abandono de casas e  carros além de calçadas em péssimas condições e uma constante queda de energia elétrica.

Para Rafael Ferrari, que há 03 anos reside na rua Jaci, um dos principais problemas se encontra  nos veículos que chegam a permanecer por meses em ruas e avenidas da região. “Mesmo com placas de vende-se os carros costumam ser abandonados. São verdadeiras carcaças que resultam numa grande dor de cabeça”. Afirma Rafael.

Carro abandonado na esquina das ruas Jaci e Itaoca.

Carro abandonado na esquina das ruas Jaci e Itaoca.

Na rua Jaci, 188 uma casa de esquina é motivo de grande preocupação. O local com muitas áreas tomadas pelo mato serve de abrigo a  moradores de rua e para o consumo de drogas. O sindico de um condomínio que fica quase em frente a região relata que já procurou a prefeitura e até os proprietários do imóvel, mas nada foi feito. Tales Banhato ressalta que a obra além de um local para ladrões ainda possuí diversos focos do mosquito da dengue.

Outra questão apontada  está na falta de preservação das calçadas. São degraus desnecessários e diversos  buracos que acabam obrigando os pedestres a utilizarem as ruas. Idosos como a aposentada Dirce Godal, que há 17 anos mora na região acham praticamente impossível andar com segurança pelos passeios. ” Olha são tantas escadas e buracos que a gente só consegue andando se pular. Oras eu consigo andar mas pular fica difícil “. Relata Dirce.

Calçada na parte externa do Parque

Calçada na parte externa do Parque

Entramos em contato com a AES Eletropaulo, e até o fechamento desta não obtivemos retorno.

Em nota a prefeitura esclarece:

“Sobre os carros abandonados a Subprefeitura Vila Mariana informa que, na próxima semana, realizará vistoria no local e os veículos indicados receberão notificações, por meio de adesivo, dirigidas aos seus responsáveis para que realizarem a retirada. Após o prazo de cinco dias da data das notificações, conforme previsto pela legislação, sem que os veículos sejam retirados, a subprefeitura iniciará os procedimentos legais e administrativos para realizar a remoção dos automóveis.

Quanto aos questionamentos sobre moradores de rua, a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) informa atua diariamente em todas as regiões da cidade abordando e encaminhando moradores em situação de rua por meio de orientadores sociais do Serviço Especializado de Abordagem Social (SEAS), inclusive na Praça Professor Américo Portugal.

O trabalho é permanente e consiste na identificação, aproximação, escuta e encaminhamento, das pessoas que aceitam, para a rede de proteção social, como Centros de Acolhida. É importante ressaltar que as pessoas são convidadas a ir para os Centros de Acolhida, mas a aceitação é facultativa.

Os moradores que aceitam podem ser encaminhados para o Centro de Acolhida localizado na Rua Engenheiro Armando de Arruda Pereira ou para qualquer outros 78 equipamentos espalhados pela capital. São cerca de dez mil vagas oferecidas”.

Ouça aqui a reportagem