Obras da Comgás geram problemas na zona norte
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Obras da Comgás geram problemas na zona norte

Marcel Naves

05 Setembro 2016 | 18h02

Comgás realiza uma série de intervenções em ruas e avenidas do bairro do Jaçana, na zona norte.

Comgás realiza uma série de intervenções em ruas e avenidas do bairro do Jaçanã, na zona norte

Motoristas e moradores do bairro do Jaçana, na zona norte da cidade, estão insatisfeitos com as obras realizadas pela Comgás – Companhia de Gás de São Paulo.  As principais reclamações dizem respeito aos buracos e à falta de sinalização.

As avenidas Paulo Lincoln do Vale Pontin e Antônio César Neto, por exemplo, são apontadas como as que apresentam as piores condições. Por toda extensão das vias,  é possível  notar diversas intervenções.  Em geral obras de reparo, ou de expansão da rede de gás.

Na rua Ângelo Aloísio, a situação fica ainda pior pela forma com que os buracos são tapados.  No local é grande a circulação de  ônibus e caminhões,  sendo normal que os reparos feitos durem apenas  alguns dias.


Para o motorista Anderson de Oliveira, os consertos são feitos sem muito critério técnico. Segundo ele, basta uma chuva mais intensa para o asfalto ceder e os buracos voltarem à aparecer. O motorista,  ressalta ainda que além de não haver fiscalização é impossível  encontrar alguém responsável pela obra. “A gente não consegue reclamar  e quando consegue nada é feito”, afirma.

Confira abaixo a íntegra da nota divulgada pela Comgás:

“Companhia de Gás de São Paulo informa que os endereços mencionados pela reportagem passaram por obras de implantação de uma nova rede de fornecimento de gás natural.

As intervenções ainda estão sendo executadas e têm previsão de término para esta sexta-feira (09/09), quando será realizada a pavimentação definitiva em todos os trechos.

A conclusão dos serviços contempla a aplicação de duas camadas de asfalto: uma inicial, feita para acomodar-se no pavimento e evitar riscos de solapamento; e uma definitiva, colocada após a consolidação da primeira camada. Somente depois dessa etapa a obra é considerada finalizada”.