Alagamentos, lixo e moradores de rua são problemas na Vila Leopoldina
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Alagamentos, lixo e moradores de rua são problemas na Vila Leopoldina

Marcel Naves

09 Junho 2016 | 17h15

 

O lixo deixado por moradores de rua se acumula na Avenida Gastão Vidigal.

O lixo deixado por moradores de rua se acumula na Avenida Gastão Vidigal.

No canteiro central da Avenida Gastão Vidigal, poucos antes do portão um da Ceagesp, os moradores de rua se acomodam como podem. Uns improvisam abrigos com papelões e sacos de lixo, outros optam apenas por cobertores e não são  raros os casos de quem chega a montar barracas em baixo das árvores.

Mas a situação constatada em uma das principais avenidas da Vila Leopoldina retrata somente um dos muitos problemas existentes. As reclamações de moradores vão da ausência de varrição até a pequenos assaltos em ruas, onde normalmente a iluminação é insuficiente.

Em outra via importante do bairro, a Av. Mofarrej, as queixas dão conta de sucessivas quedas de energia. Moradores de um dos condomínios existentes no local relatam que ao menos uma vez por mês falta energia. O síndico José Eduardo Krenec diz que basta uma garoa para que a força acabe. “Aqui bastou chover para a luz acabar, e quando a gente consegue falar com a Eletropaulo as informações são sempre desencontradas”, afirma José Eduardo Krenec.

Nas proximidades do viaduto Mofarrej o problema vem a tona quando chove. No local as inundações são constantes. Dependendo da intensidade das chuvas, o nível da água chega a alcançar mais de um metro. Moradores alegam que o assunto tem sido tratado a cada governo, mas até agora nada foi feito.

Em uma rápida circulada por ruas e avenidas da região a equipe de reportagem da Rádio Estadão verificou que as podas, em grande parte das árvores não tem sido feita regularmente. A varrição, até mesmo por conta da grande circulação de moradores de rua acaba ficando comprometida.

Entramos em contato com a AES Eletropaulo que até o fechamento desta reportagem não se pronunciou a respeito das constantes quedas de energia elétrica. A prefeitura emitiu um comunicado a respeito dos problemas apontados .

Confira a nota:

“Zeladoria

A Subprefeitura Lapa esclarece que realiza rotineiramente serviços de manutenção e conservação das vias no entorno da Vila Leopoldina, e os de varrição estão ocorrendo de acordo com a programação estabelecida: na Avenida Gastão Vidigal, diariamente, e na Avenida Mofarrej, às terças, quintas e sábados. A coleta de entulho é realizada duas vezes por semana. Nesta sexta-feira (10), está prevista nova intervenção de zeladoria nos locais apontados. Também há serviços rotineiros de manutenção do sistema de drenagem urbana da área, com execução de serviços de limpeza de bocas de lobo, poços de visita, ramais e galerias. A limpeza dos bueiros foi executada pela última vez nesta semana, com frequência quinzenal no período de novembro a abril e mensal no restante do ano, podendo ser maior na ocorrência de algum evento atípico.

Em vistoria ao local nesta quinta-feira (9), foi localizado um arbusto caído na faixa de serviço da calçada, provavelmente devido ao choque de algum veículo em frente ao número 241, além de alguns pequenos galhos oriundos das últimas chuvas. O serviço de recolha está programado para esta sexta. O serviço de podas de árvore é feito de acordo com a necessidade ou por meio de solicitação dos munícipes.

Assistência Social

A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) informa que atua por meio de orientadores sociais do Serviço Especializado de Abordagem Social (SEAS) na região da Vila Leopoldina abordando e encaminhando esses moradores em situação de rua para os centros de acolhida.

No caso específico da Avenida Gastão Vidigal, esses moradores não aceitam encaminhamento, mas esporadicamente vão até os centros de acolhida apenas para tomar banho e comer. Vale ressaltar que a aceitação é facultativa. Nos centros de acolhida os moradores podem tomar banho, pernoitar, receber kit de higiene, alimentar-se e lavar suas roupas, além de ter acesso a serviços socioassistenciais”.

Confira aqui a reportagem